O que PES pode aprender com CS e LoL | .:Webrothers:.
close

Fala aí brother, hoje iremos falar sobre um assunto pouco comentando ainda no meio da comunidade de PES, pelo menos para a maioria, que é sobre o cenário de e-sports e a nossa amada franquia, já adianto que farei alguns posts sobre esse assunto, que vão dar ideias e uma visão geral a comunidade e porque não, também ser uma carta aberta a Konami.

Patrocínios e Parcerias Fortes

O ponto principal no qual a Konami deve se atentar seja a questão de que há um grande interesse de grandes marcas em investir nesse nicho tão promissor, pois com o passar das gerações de “gamers” a tendência é que cresça cada vez mais, por isso até que isso se tornou uma oportunidade para as produtoras de games de expandir seus negócios.

Entre as marcas que patrocinam competições de CS e LOL, por exemplo, estão Intel, Turner e também várias marcas de periféricos, energéticos, placas de vídeos, além das transmissões oficiais realizadas por diversos veículos. Aqui no Brasil, se destacam ESPN, Esporte Interativo e SporTV. Se tornou algo cotidiano ver um game em transmissões seja na Televisão ou via Internet e assim o meio foi ganhando proporções incríveis onde até mesmo jogadores de futebol como Ronaldo Fenômeno resolveram investir na área, mais precisamente em um time de Leagues Of Legends.

Visto isso, caberia a Konami quem sabe ir atrás de patrocinadores para seus eventos, mas para isso, deve ir atrás de visibilidade através de parcerias com algumas grandes emissoras de TV, assim como já é feito com o e-brasileirão, por exemplo, onde quem os transmite é a SporTV, mas isso ocorre devido a uma parceria CBF e Globo, se pararmos para analisar, chega até a ser bizarro não haver transmissão por nenhuma emissora grande de TV a final do mundial de PES, no qual o Gui Fera foi campeão, tendo como base o cenário atual de e-sports e sua grandeza.

Estrutura para os players

Os jogadores profissionais de CS e Leagues Of Legends contam com todo um time de profissionais, constituído de psicólogo, analista, representante de mídias sociais, administração (responsável em coordenar seções específicas da equipe, como o gerenciamento dos jogadores ou do caixa), coordenador de competições (geralmente produzindo conteúdo e coordenando os campeonatos oficiais), designer, nutricionista e personal trainer. Além disso, é disponibilizada uma casa, chamada de gaming house, onde todos os jogadores do time moram e treinam. Desta forma a rotina dos atletas é acompanhada de perto pela organização da equipe e tudo isso citado é pago pelo time no qual os jogadores representam e não pela produtora, diferente do que a Konami faz hoje, por exemplo, onde quem arca as despesas de quem disputa a Pes League é somente ela.

Preconceito

Talvez ainda tenha muito preconceito com os e-sports, principalmente no Brasil, por ser um pais de 3º mundo e também são os fãs de futebol real que não aceitam o fato de que um esporte eletrônico possa realmente ser chamado de esporte, por se tratar de ficar sentado e não ter exercício físico, basicamente apenas mental. Partindo deste princípio, podemos citar o jogo de xadrez por exemplo, que é visto e reconhecido como um esporte.

Cenário competitivo forte

Há uma diferença cenário competitivo de CS e LOL. O LOL tem um cenário fechado, com as competições mais importantes sendo controladas pela Riot (produtora do jogo) e pouca abertura para campeonatos de terceiros, semelhante a maneira que a Konami faz as suas competições hoje. Já no CS o circuito é aberto, no qual, eu vejo muito mais continuidade e futuro, principalmente em termos de parcerias, pois acaba tendo muito mais oportunidades para os times, sejam eles grandes ou pequenos e também pelo fato de que eles estão sempre jogando em altíssimo todos os dias contras várias equipes de todo o mundo.

As vagas para as grandes competições do mundo são adquiridas por meio de classificatórias. Fazendo uma comparação com o futebol, no caso da Libertadores, tomando como base os times brasileiros, é necessário estar entre os 6 primeiros colocados do campeonato brasileiro ou ser campeão da copa do brasil. Há outras opções também, mas isso só será possível, se o time brasileiro for campeão de uma das duas competições intercontinentais, a libertadores ou a copa sul-americana.

Com o esporte eletrônico não é diferente, há classificatórias para os “mundiais”, que são conhecidos como Major. No caso específico do CS:GO existe uma outra peculiaridade, que é a classificação direta para o próximo mundial. Isso acontece quando o time consegue atingir o status de Legends. Esse status é adquirido dentro do próprio mundial, quando o time consegue passar da fase de grupos e chegar as quartas de final.

CS: GO e League of Legends, oferecem premiações um pouco menores. O primeiro pagou à Gambit Gaming, campeã do último major RS$1,6 milhões. Já a Riot Games, desenvolvedora do popular LoL, pagou a sul coreana SKT T1, que levantou a taça no último mundial realizado, R$3,24 milhões.

Com isso, a profissionalização desta área tornou-se uma realidade, existindo diversas equipes para competirem, com jogadores registrados e se dedicando apenas ao jogo (e não mais a outra profissão).

Hoje, o cenário competitivo de PES, é comandado de uma maneira geral pela PES League, óbvio que também existem outras vertentes, por região, principalmente no Brasil, com a CBFDV, por exemplo, mas ainda sim, a Konami tem muito a aprender e a crescer, tomando como exemplo LOL e CS e assim expandindo cada vez mais os seus negócios com os e-sports.

 

Fontes:

Contraponto Digital

Medium

Mycnb

 

Um abraço a todos e comentem bastante.

SAIUUUUUUUUUUUU A V1 DO OPTION FILE DO VINNYEXTREME PARA PES 2018 PS4!!!!!!!!!!!!!!!!

COMPRE SEUS JOGOS EM MÍDIA DIGITAL COM O RAUL!!!!!!!!!!

MOSTRE A WEBROTHERS PARA OS SEUS AMIGOS!

DENUNCIE DERRUBADORES CLICANDO AQUI!!!!!!!!!!!!!!!!!

NÃO LEIA APENAS, COMENTE A POSTAGEM. O SEU COMENTÁRIO É A NOSSA MOTIVAÇÃO!

Comments

comments

Tags : Destaquee-sportspes 2018PES LeaguePro Evolution Soccerpro evolution soccer 2018WebrothersWinning Elevenwinning eleven brothers
Dan

The author Dan

Facemaker. Apaixonado por Pro Evolution Soccer desde que se chamava Winning Eleven. Sou fã do modo Online do jogo e Player de PC/Steam

23 Comentários

  1. Respondendo a um comentário do post anterior, qd falo em gráficos reais nos jogadores que não tem rostos reais, eu falo que poderia ser mais humanos, o visual do jogo em si não acho real, apenas bonito, vemos vários jogos com gráficos realista de tirar o fôlego e no pés ainda não vejo isso!

  2. Eu queria saber pq a publicidade do campeonato brasileiro só tem brahma e museu do futebol, kd os outros como vivo, proibida, cielo etc?

  3. Se for para terceirizar os torneio competitivos tudo bem, caso contrário não gosto da ideia. Cada vez a equipe do PES se envolve em medidas que não tem relação direta com o jogo.
    .
    Essa de ir pro competitivo não me agrada, basta ver o que essa mentalidade fez com o Street Fighter V, que é um jogo completamente capado em conteúdo e quando as pessoas reclamaram aí vieram com essa desculpa elitista ” é que o nosso jogo é competitivo, são para os hardcore”. O resultado foi que o Street Fighter teve uma venda muito baixa em relação ao esperado levando 1 ano para vender o mesmo que o Tekken 7 vendeu em um mês e com muito custo chegou a 1 milhão de cópias vendidas.
    .
    A equipe do PES não consegue dar conta de fazer e lançar um jogo sem ter problemas a anos e ainda querem se meter com outras coisas. Não priorizam o jogo em nenhum momento e pra mim já ficou claro que nem se importam.
    .
    As ações da equipe do PES só vão na direção errada, com essa mentalidade a situação da franquia vai continuar como está.
    .
    Torço para que surjam mais jogos de futebol no mercado, porque de 2014 pra cá, está muito complicado jogar jogos de futebol atuais.

  4. Olá, galera da webrothers!
    Como disse ontem, eu participei do e-brasileirão do PES e eu prometi contar como foi o meu desempenho no torneio. Resumo em uma palavra: frustração!
    Não consegui participar! Simplesmente o site não abriu para que eu fizesse o check-in e pudesse jogar. E isso não aconteceu só comigo não: muita gente reclamou que não conseguiu fazer o check-in pra jogar e muito menos conseguiu jogar no próprio PS4! Como já reclamei antes, o online do PES 2018 tá deixando muito a desejar e hoje foi mais uma prova disso! Jogar offline contra outra pessoa ainda não fiz e não posso falar a respeito. Mas online…PQP!

  5. Galera, estou voltando a jogar PES nesta edição e tenho uma duvida. Instalei um OF e gostaria de ativar as atualizações ao vivo, se eu fizer isso vou correr algum risco de perder o OF que instalei?

    1. Pode ativar no menu de amistoso, os times editados ficam genericos, mas pode desativar se quiser, só não ative no menu principal

  6. Poxa, pensando pelo lado bom a Konami já tem uma certa visibilidade mundial. Creio que além do CS e LoL são poucas outras franquias que organizam campeonatos mundiais. Então já podemos colocar PES como uma das pioneiras no eSports. Só tem que tomar cuidado agora com a qualidade do jogo. É um futuro promissor 😀

  7. Olha o video que eu falei Edu. As estatísticas no PES 2018 não tem relevância. São utilizadas para equilibrar todos os jogadores, sejam de nivel 99, sejam de nivel 40.

    1. Até o momento realmente não tinha, mas na segunda etapa da PES League que disputei ontem o Real Madri estava acima das outras equipes mesmo com o online pesado, isso não acontecia antes, muito estranho.

    2. Vídeo bem esclarecedor…
      No fim, o que define, nos PES atuais, o nível de competitividade dos times é a dificuldade em que se joga, e não o overall dos jogadores…

      Diferente do que acontecia nos PES/WE de PS2 por exemplo… No PES 6, por exemplo, não dava para comparar a velocidade de corrida e a força do chute de um Shevchenko (que era uma das estrelas do game na época) com qualquer outro jogador de overall baixo… Nos WE de PS2, a diferença de overall entre os jogadores não era só número e/ou gráficos… afetava diretamente a gameplay, o que tornava o game fantástico…

  8. Confesso que não sei até que ponto algo que é programado por alguém possa ser um “esporte” de fato.
    Pois um jogo é facilmente adulterado pelos seus programadores.
    Se tratando de performance, dinheiro, exposição, etc, isso cria um asterisco sobre a real habilidade do jogador e o quanto ele ele realmente mereceu a conquista de um título.
    Um bom exemplo está dentro da própria PES League, onde geralmente os primeiros colocados são derrubadores de conexão que “fabricam” resultados positivos.
    Portanto, eu sou um dos que ficam receosos com algo assim. Entretanto, reconheço que as modalidades esportivas em jogos eletrônicos vieram para ficar, e o PES não pode ficar de fora disso, caso almeje voltar a ser respeitado pelo mercado e pelo público em geral.

    1. é foda isso de desonestidade, mas infelizmente, até que criem uma forma eficiente para acabar com isso, teremos que conviver.
      Creio que a produtora que se posicionar melhor e mais rápido no seu nicho, já sai na frente e tem mais vantagem, principalmente aos olhos de patrocinadores e parceiros

    2. Os caras usam lag switch pra lagar a conexão do host nas partidas.
      O que acontece é que ocorrem pequenas desconexões super rápidas, a rede do jogo não entende como queda, apenas como oscilação e fica tentando se conectar, e é aí que o lag pega com força.
      O time do usuário host vai congelar, ficar extremamente pesado e é aí que os caras se aproveitam e metem gol.
      Já comentei aqui que presenciei um otário desses querendo vender um lag switch.
      Volto a dizer, é obrigação em 2017 a empresa fornecer servidores dedicados que nos apresentem informações detalhadas sobre contra quem iremos jogar, temos esse direito.
      O sistema P2P é a grande arma dos trapaceiros.
      os caras com mais de 1000 pontos e não jogam merda nenhuma… só bugueiro.

Leave a Response