close

Olá, brothers, tudo de boa? Então vamos a mais uma matéria sobre Pro Evolution Soccer!

Bem, na verdade, nem tudo está “de boa”, né? Hoje foi um dia difícil para os fãs de Pro Evolution Soccer, com a perda da licença da UEFA Champions League. Já sabia disso há alguns meses e, por isso, venho preparando vocês com algumas postagens anteriores, aqui no site.

Antes de nos aprofundarmos no assunto e nas suas consequências, vamos à nota oficial divulgada pela UEFA hoje, 18/04/2018:

 

Konami termina parceria com UEFA

Quarta 18 de abril de 2018

Uma parceria de dez anos entre Konami e as competições da UEFA chegará ao fim após a final da UEFA Champions League, em Kiev.

 

A final da UEFA Champions League de 2018, em Kiev, marcará o final de uma muito bem sucedida e frutífera parceria de 10 anos entre a Konami e a UEFA Champions League.

A UEFA Champions League ofereceu uma plataforme de mídia e divulgação perfeita para a Konami e tem sido uma das principais características do seu mundialmente famoso jogo Pro Evolution Soccer.

Comentando sobre o fim desta parceria de longa data, Guy-Laurent Epstein, diretor de marketing da UEFA Events SA, disse: “A Konami tem sido uma parceira de licenciamento forte para a UEFA Champions League e UEFA Europa League, sendo a nossa marca apresentada dentro do jogo e como parte dos populares torneios de e-sports da UEFA Champions League organizados pela Konami.

“Foi uma parceria muito cooperativa e mutuamente benéfica. A UEFA gostaria de agradecer à Konami pelo seu enorme empenho e apoio às competições de clubes da UEFA na última década, e esperamos continuar a trabalhar com a Konami na esfera das seleções nacionais da UEFA”. “

Jonas Lygaard, diretor sênior de desenvolvimento de marca e negócios da Konami Digital Entertainment BV, disse: “A licença da UEFA Champions League nos deu uma plataforma para criar experiências únicas e proporcionar aos fãs de futebol de todo o mundo a oportunidade de desfrutar desta competição em primeiro mão”.

“Este ano, no entanto, vamos mudar nosso foco para outras áreas. Continuaremos a explorar maneiras alternativas pelas quais a UEFA e a Konami podem continuar trabalhando juntas, já que nosso relacionamento continua forte”.

Essa é a nota e, por sinal, muito elegante por parte da UEFA soltar essa nota dias antes do anúncio do resultado da licitação. Agora, vamos analisar alguns trechos da nota.

 

Seleções da UEFA e outras maneiras alternativas

Antes de mais nada, se você viu sites, canais no You Tube ou qualquer outro meio dizendo que a licença da UCL não foi perdida, que perdeu-se apenas a exclusividade, bloqueie todos eles. Como em qualquer meio nessa vida, existem muitas pessoas desonestas, que só querem ganhar cliques e views a qualquer custo; se livre de todas elas.

Guy-Laurent Epstein, diretor de marketing da UEFA, foi bem claro: Konami e UEFA continuarão a trabalhar no que diz respeito às licenças relacionadas a torneios de seleções. Assim, PROVAVELMENTE, continuaremos com as licenças relacionadas a UEFA EURO.

Entretanto, o RUMOR que circula no Twitter dá conta do seguinte pacote:

Se isso realmente for verdade, há bastante coisa para a Konami explorar, inclusive futsal. Tomara que seja verdade, mas não passa de RUMOR, ok? Se alguem postar isso como verdade, pode colocar o selo de retardado mentiroso.

Além disso, Jonas Lygaard, diretor da Konami, ainda disse que eles continuarão “a explorar maneiras alternativas pelas quais a UEFA e a Konami possam continuar trabalhando juntas”. Bem, o que seriam essas outras maneiras? Plataforma mobile? eSports? Enfim, só o resultado da licitação irá nos dizer.

 

Gerente Global de PES sai da toca e fala sobre a perda da UCL

Uma notícia como essa não aparece todo dia, é uma situação de crise que mobiliza os fãs, as comunidades e os funcionários da Konami. Por isso, até o “sumido” gerente global de PES, Adam Bhatti, resolveu aparecer:

“Algumas vezes, tem-se que dar um passo atrás no futebol para irmos em frente. O futuro é extremamente excitante. Não vai demorar muito para você saber o que eu quero dizer”, disse Adam.

Galera, longe de mim pedir para vocês confiarem no Adam, até porque ele já aprontou poucas e boas com os fãs de PES. Mas ele não é a franquia, tem muitas outras pessoas que estão trabalhando pra cacete, há algum tempo, para darem um “troco” a essa perda da UCL. E falaremos mais disso ao longo dessa matéria.

 

A dor e as consequências da perda

Brothers, obviamente a notícia abalou a todos nós, a tristeza é inevitável. A UCL era a principal licença “premium” do PES, o maior torneio de futebol do planeta, o nosso orgulho. Como eu disse no Twitter, quando eu soube dessa notícia, há alguns meses atrás, me senti como se eu tivesse terminando com uma namorada, como se um relacionamento de muito amor tivesse chegado ao fim.

Não vou aqui dizer que ninguém deva ficar triste, muito menos que eu estou feliz. Entretanto, a reestruturação da Konami, deixando de colocar orçamentos astronômicos em jogos de consoles, já era um presságio de que os japas não iriam mais gastar dezenas de milhões de Euros numa única licença para o PES, isso é fato.

Como todos já sabem, essa perda abalará, num primeiro momento, ainda mais a penetração do PES no velho continente, mas a boa notícia é: PES já vende muito pouco na Europa. Só os fãs hardcore do PES, e os torcedores dos clubes parceiros irão priorizar a compra do game, e a Konami sabe disso. Lembram quando eu dizia que essas parcerias individuais com clubes Europeus eram importantes para o PES não ser esquecido na Europa? Agora elas passam a ser vitais, e a konami sabe e vai intensificar esse tipo de ação. A PES League e o novo torneio de eSports que está para ser anunciado, também farão a sua parte.

Sim, num primeiro momento as vendas tendem a cair na Europa mas, felizmente, existem armas que a Konami pode usar para amenizar esse efeito negativo sobre as vendas globais de PES 2019. Os fãs ficarão desconfiados, muitos pensarão antes de comprar PES 2019 na pré-venda, mas a Konami também pensou nisso. Muita coisa boa vai ser anunciada em breve.

 

O aumento da verba para a produção do jogo

Vamos começar a ver o lado bom da coisa, o “copo meio cheio”? Com as notícias sobre PES 2019 que vão começar a pipocar, os fãs vão perceber uma coisa: como a Konami não gastará mais trinta e tantos milhões de Euros com essa licença, PES 2019 (e seus sucessores) tendem a ter um orçamento muito maior. E, meus caros, o que isso significa? Um jogo muito melhor produzido, acabado, com uma equipe de desenvolvimento muito maior, e com mais recursos.

E os japas já estão se mexendo. Para começar, a equipe de desenvolvimento será aumentada. A Konami está contratando programadores de servidores, programadores de rede, programadores de design e implementação de programas em jogo de futebol, programadores de IA, programadores de animação 3D, programadores de som, e muito mais.

Basta clicar na imagem acima e ver as vagas disponíveis. Vamos fazer uma analogia? Imagina um pobre que ganha uma Ferrari num sorteio: ele vai ter o carro, mas não vai poder aproveitar, dado que não vai ter dinheiro pro IPVA, pra fazer revisão no carro, pra pagar a gasolina… Não vai aproveitar o carro como poderia. Mas, agora, imaginem se essa pessoa pobre resolve vender a Ferrari: ela vai poder reformar sua casa, comprar móveis e eletrodomésticos novos, pagar os estudos dos filhos ou os seus próprios, ou até comprar um carrinho mais simples.

Resumindo: a Konami tinha a licença da UEFA mas não tinha como aproveitá-la como deveria, não tinha orçamento pra fazer um modo de jogo foda com a UCL. Agora, com a grana que não irá mais gastar com isso, investirá na melhoria do jogo como um todo. E isso vai acontecer.

 

Virão mais licenças de ligas?

Uma coisa temos que admitir: a UEFA é a liga mais importante que existe no mundo, nenhuma outra irá compensar a sua perda, nem igualar o seu valor. Mas, fã de PES, e se for mais de uma?

Obviamente, a Konami sabe que, para o PES sobreviver, terá que adquirir mais licenças. Mas não apenas licenças individuais de times, mas de ligas inteiras. Mas não só de ligas inteiras, de ligas aonde está o maior mercado consumidor de PES atualmente: a América Latina.

Brothers, assim, agora a Konami se vê obrigada a fazer o que nós sempre falamos aqui: eles precisam focar nas licenças do Brasil, América Latina, licenciar até a liga da Guiana se possível. Como já dissemos aqui no ano passado, a Konami já havia fechado a licença de uma nova liga sul americana. Agora, eles estão correndo atrás de várias.

Além disso, brothers, licenças já adquiridas pela Konami, como do Brasileirão, Argentinão, Chilenão e etc, deverão ser melhor aproveitadas. Se a Konami for esperta, mais faces de jogadores desses campeonatos virão, mais scans 3D com tatuagens, mais torneios secundários desses países… Enfim, não estou afirmando nada aqui, mas se a Konami quiser sobreviver, isso terá que ser feito. E algumas coisas que já sei, confirmam que isso deve mesmo acontecer: um maior foco nas Américas.

Outro ponto que a Konami poderia atacar é o licenciamento de campeonatos europeus periféricos. Nesse caso, não tenho nenhuma informação nem nada, é só algo que eu penso. Atacar Liga Portuguesa, Turca, Russa, e por aí  vai. Aumentar a penetração na Ásia também seria ótimo: licenciar o Chinesão e voltar com a J-League seriam golaços.

 

O que esperar do Pro Evolution Soccer 2019

Amigos, já no PES 2019, sentiremos algumas mudanças drásticas na franquia: com o encerramento do desenvolvimento oldgen (o que não significa que não lançarão PES 2019 para PS3 e X360, não tenho essa informação), a Konami acabará com diversas limitações na produção de PES.

A oldgen trava muita coisa na franquia e, com a pulverização dessas travas, poderemos ter mais slots de imagens, mais estádios, mais ligas, uma base de dados muito maior, enfim, o jogo poderá ficar muito mais robusto.

A Konami já sabe há meses que havia perdido a UCL e, por isso, já está preparando muita coisa para ser anunciada em relação ao PES 2019. Uma informação que não tenho, mas que espero que se concretize, é o aumento da liberdade de edição dentro do jogo. Precisamos de um modo editar mais poderoso, robusto, ainda mais com as perdas de licenças que a franquia vem sofrendo desde 2013.

Assim, brothers, PES 2019 tende a ser uma reaproximação da franquia às suas origens. Digo isso porque, obrigatoriamente, a Konami terá que melhorar muito o jogo e agradar aos fãs, já que licenças não serão o seu ponto forte. Até o PES 6, quando foi o auge da franquia, PES não tinha UCL e uma porrada de outras licenças. O que a Konami precisa fazer é azeitar a jogabilidade, evitar bugs infantis, abrir o jogo para edição e melhorar seu pós venda e relacionamento com os fãs. Fazendo isso, a mágica acontece.

Agora a Konami precisa, para não deixar a franquia morrer, fazer um jogo realmente voltado para os fãs e que nos agrade. E, brothers, até aonde eu sei, eles estão dispostos a isso. A franquia não vai acabar, PES não vai morrer. PES vai te surpreender e se reinventar. Boa sorte, André e Robbye; a caminhada é longa, mas vocês são capazes. Estamos com vocês!

Um abraço a todos e #OCampoÉNosso  continuará sendo. Não desanimem!

Ahhh, e não se esqueçam de nos seguir no Twitter @WebrothersTeam!!!!!!!!!!! Estamos lá o dia inteiro e damos as notícias em tempo real!!!!!!!!!!!

Se você quiser compartilhar informações conosco, basta enviar um e-mail para [email protected], ok?

>>>> Lançada a V6 do option file Vinnyextreme PES 2018 PS4!!!!!!!!!!!!!!!!<<<<<

Chegou o melhor option file para PES 2018 no PS3!!!!!!!!!!! Miller’s patch, o nosso novo parceiro!

MOSTRE A WEBROTHERS PARA OS SEUS AMIGOS!

DENUNCIE DERRUBADORES CLICANDO AQUI!!!!!!!!!!!!!!!!!

NÃO LEIA APENAS, COMENTE A POSTAGEM. O SEU COMENTÁRIO É A NOSSA MOTIVAÇÃO!

 

Tags : Adam BhattiAndré BronzoniDestaqueKonamipes 2018pes 2019Pro Evolution Soccerpro evolution soccer 2019UCLUEFAUEFA Champions LeagueWebrothersWinning Elevenwinning eleven 2018
Edu Suliano

The author Edu Suliano